Total de visualizações de página

domingo, 12 de dezembro de 2010

Fé! Será mesmo que compreendemos a Palavra de Deus?




Há um tempo atrás, estava pensando sobre minha fé. Sabe, não sei como explicar, mais estava com um vazio enorme no meu peito. Nada o preenchia. Depois comecei a avaliar e cheguei a conclusão que aquele vazio era "falta do amor de Deus". Não do Amor Dele por mim, mais do meu amor para com Ele. Acho que nós acostumamos tanto com a "rotina" religiosa que acabamos por deixar nossa fé de lado sem ao menos perceber.
Fé. Palavra que move montanhas. Estou dizendo isso que, depois que avaliei minha fé, comecei a observar as outras pessoas. Bom, eu sou catequista: Tá, mais sinceramente, só recorria a Deus quando precisava.
-  "Rezar a noite? pra que, eu estava tão cansada afinal, durmo tarde porque fico no computador. Rezar quando acordo, ah, não dá porque eu já acordo atrasada, apesar de colocar o relógio pra despertar cedo, acabo dormindo mais 5,10,15 minutinhos. Claro que vou a missa, mais só vou também. Participar de coração, isso acho que não faço faz tempo." Pois é, essa era eu. Era, graças a Deus. E não foi a muito tempo isso não....
No início do mês, fui a missa na minha paróquia. Fiquei observando as pessoas durante a missa. Engraçado né? Se você vai a uma festa, fica horas em pé e não reclama, mais quando vai a missa.... O padre está demorando na homilia, os cantores cantam musicas grandes, e quando pede pra esperar um minutinho pra fazer uma homenagem a alguém ou dar um aviso importante, meu Deus, tenho que ir embora porque esta tarde e vai embora antes mesmo da bênção ou se fica, fica... RECLAMANDO. É, mais pra chegar tarde em casa quando vai a uma festa, isto não tem problema né? E ir ao banheiro então. Nossa, comecei a observar as pessoas nisto também. Ow, no canto de entrada, o povo ia ao banheiro, na homilia ia ao banheiro ou então bebia água. Eu observei isso em todas as Igrejas Católicas que freqüento, mais o que me deixou mais triste é que isso aconteceu com muito mais freqüência, nos lugares em que participo mais. É, acho que Deus não esta satisfeito com nossa fé não.
Não estou dizendo para deixar de ir ao banheiro ou beber água, mais poxa, vai no início da celebração então. Porque tem que ir depois que começa???
Sabe, acho que todos devem avaliar sua fé. Nossa, minha vida melhorou tanto em tão pouco tempo que mudei a minha relação com Deus. Graças a Ele, a minha fé está mais fortalecida do que nunca. Agora sim posso dizer que participo da Santa Missa. Antes ia por que tinha que cantar, tinha que ler, tinha que ir..... Mais agora, vou porque tenho sede de Deus.

Jovens, não ame Deus da boca pra fora. Ame Deus como o livro Ágape do Padre Marcelo nos ensina. Ame Deus acima de tudo, acima de você mesmo!

A vocês jovens, que acham que tem fé, mais ela é só uma carapaça, um disfarce que nem você mesmo tem coragem de tirar do rosto, um conselho que também serviu pra mim: Nunca é tarde para realmente e de todo o coração, se ENTREGAR A DEUS!


Dedico a vocês, jovens, a poesia mais ágape do mundo:



Precisamos de Santos

Precisamos de Santos sem véu ou batina.
Precisamos de Santos de calças jeans e tênis.
Precisamos de Santos que vão ao cinema, ouvem música e passeiam com os amigos.
Precisamos de Santos que coloquem Deus em primeiro lugar, mas que se "lascam" na faculdade.
Precisamos de Santos que tenham tempo todo dia para rezar e que saibam namorar na pureza e castidade, ou que consagrem sua castidade.
Precisamos de Santos modernos, santos do século XXI, com uma espiritualidade inserida em nosso tempo.
Precisamos de Santos comprometidos com os pobres e as necessárias mudanças sociais.
Precisamos de Santos que vivam no mundo, se santifiquem no mundo, que não tenham medo de viver no mundo.
Precisamos de Santos que bebam coca-cola e comam hot dog, que usem jeans, que sejam internautas, que escutem disc man.
Precisamos de Santos que amem apaixonadamente a Eucaristia e que não tenham vergonha de tomar um refri ou comer uma pizza no fim-de-semana com os amigos.
Precisamos de Santos que gostem de cinema, de teatro, de música, de dança, de esporte.
Precisamos de Santos sociáveis, abertos, normais, amigos, alegres, companheiros.
Precisamos de Santos que estejam no mundo; e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo, mas que não sejam mundanos".

(João Paulo II)